domingo, janeiro 16, 2011

Sebastianismo automóvel

O Sebastianismo é aquela crença de que numa manhã de nevoeiro D. Sebastião aparecerá para salvar a nação.
Ora, a nação de D. Sebastião de 1578 é muito diferente da de hoje. Antes havia estradas para as carroças serem puxadas por bois e cavalos. Hoje existem auto-estradas a perder de vista para andarem quatro tipos (subespécies) de pessoas a circular: os dotados, os preocupados, os egocêntricos e os sábios.

Nas manhãs de nevoeiro as nuvens não andam lá no alto, vêm fazer-nos companhia ,testar as nossas capacidades e saber como somos perante os outros seres da nossa espécie, essa tal de Homo sapiens...

Os dotados são aquela subespécie (Homo sapiens dotato) que conseguem ver para além do infinito e não precisam de luzes para verem o que quer que seja quando está nevoeiro. Mais, acham que todas as pessoas da espécie pertencem à mesma subespécie que eles... Será que não acham estranho andar tanta gente de luzes acesas?! Sem luzes, portanto. Falta-lhes tudo para evoluir.

A dois passos da evolução estão os preocupados (Homo sapiens preoccupato) gostam de ser vistos mas vêem que é um espectáculo. Como tal utilizam os faróis de presença (que não iluminam porra nenhuma) para que o seu veículo possa ser identificado a uns míseros, vá lá... Quando já estamos em cima deles!

Os egocêntricos (Homo sapiens egocentrico) já ligam as luzes de cruzamento (médios) e têm noção de que não se vê bem quando há nevoeiro. Um pequeno pormenor: convém que sejam visíveis! Já só estão a um pequeno passo da evolução: ligar os faróis de nevoeiro.

Subespécie tremendamente evoluída é a do Homo sapiens sapiens (Ah, é a minha!). Vou chamar-lhes sábios... No fundo sabem como cumprir as regras e põem em prática tudo o que aprenderam nas aulas de código e de condução. É uma subespécie que tem noção das limitações da visão humana em condições adversas de baixa luminosidade e visibilidade e opta (é uma opção pertencer a esta subespécie) por ligar os médios (para ver) e os faróis de nevoeiro (para ser visível).

Eu não quero ver o D. Sebastião, até porque não acredito em ressureições, não! Eu não quero que ele nos venha salvar da crise em que está mergulhado o país. Também não quero que ele nos venha salvar das gentes que teimam em circular na faixa do meio quando têm a da direita desocupada. No meio do nevoeiro só espero encontrar carros que tenham os médios e os faróis de nevoeiro acessos.

Sem comentários: