Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2010

Ora deixa lá ver...

Estão a ver o que é ir na rua e roubarem-vos o telemóvel?!
Estão a imaginar o que é chegar ao carro e não terem o rádio no sítio onde o deixaram?!
Estão a ver um gajo qualquer chegar-se ao pé de vocês, apontar-vos uma arma e levar-vos os trocos todos?!
Estão a ver o que é o carjacking?!
E vocês pedirem uma bifana e o homem do tasco levá-la para outra mesa, estão a ver?!
E terem de ir descalços para casa porque vos roubaram os ténis, também estão a ver?!
E o Benfica ir jogar a Guimarães e o árbitro (se é que lhe posso chamar assim) não assinalar dois penaltis e marcar escandalosamente dois foras de jogo, estão a ver?!
É que eu ESTOU!!!!

O futebol português rejuvenesce por RAP

Há duas semanas, escrevi aqui que a época 2010/2011 começava naquele dia, quando o Benfica jogasse com o Vitória de Setúbal. O jogo acabou com a vitória do Benfica por 3-0, e eu convenci-me de que tinha razão. Afinal, devo confessar que me enganei. Não estamos a assistir ao início da época 2010/2011. O campeonato que agora começa é o respeitante à época 1996/1997. Aquele ano em que se juntaram, na primeira divisão, árbitros como José Pratas, Augusto Duarte, Soares Dias e Isidoro Rodrigues, entre tantos outros. A arbitragem de ontem, em Guimarães, foi de 96/97. Até quem viu o jogo em casa sentiu o cheiro a naftalina. E os apreciadores de antiguidades terão admirado o rigor com que Olegário Benquerença aplicou as regras daquela altura. Foi um espectáculo comovente. Quando um jogador vimaranense tentou separar a perna do Aimar do resto do corpo com um pontapé, dentro da área do Vitória. Senti-me 14 anos mais novo. A falta não assinalada que Carlos Martins sofreu, também de…

Precisava disto

Estava mesmo a precisar de começar as aulas...
É com eles que eu gosto de estar, é por eles que gosto de ser admirado, é a eles que quero ensinar, é com eles que quero aprender, é a eles que quero proporcionar momentos admiráveis...

O primeiro dia na turma nova correu muito bem. Gostei muito do empenho e da atitude deles.
Também gostei de rever os ex-alunos a correrem para os meus braços em busca de um abraço. O apego existe, vai permanecer... Sinto-me tão orgulhoso por vê-los já no 5.º ano, crescidos!!!

Vamos lá trabalhar, maltinha!