domingo, outubro 05, 2008

Declives Olisiponenses

Eu não consigo explicar, mas actualmente a minha cabeça anda a ser invadida por teorias parvas.
Hoje, a que me ocorreu foi tão boa, tão boa que tive necessidade de a escrever aqui... Já tinha tido este pensamento e já o tinha partilhado algumas vezes, mas hoje bateu forte...
Enquanto andava de carro pela cidade de Lisboa, colina abaixo, colina acima, tive aquela ideia já antiga, uma ideia que de brilhante muito tem.

E não é que me lembrei que em Lisboa é impossível uma pessoa andar perdida?!
Pois é, em Lisboa uma pessoa não se pode perder, quanto muito pode andar meia desorientada.

- E Porquê? - perguntam vocês.
- E eu respondo: em Lisboa uma pessoa só pode andar meia desorientada e nunca perdida porque em Lisboa todos os caminhos vão dar ao rio...

Vejamos...
Na cidade onde nasci há poucas ruas com declive nulo. Assim, e porque a maior parte delas desce ou sobe (de acordo com o sentido da rota) a única coisa que temos de fazer quando andamos meio desorientados é... Descer! Isso mesmo, descer.
Se descermos certamente que vamos ter ao rio. A partir daí é só redefinir percursos de forma a chegarmos inteiros ao nosso destino.

Se todos os caminhos vão dar a Roma,
todas as ruas que descem vão dar ao Tejo!


Ele há coisas...


...que são muito parvas!

3 comentários:

Cristiana disse...

Perdoa-me a arrogância mas eu cheguei essa conclusão 1º q tu =P Há um ano atrás ao conduzir por lx acompanhada de uma amiga fora da cidade ela dizia o qt lhe custava andar por lx q se estava smp a perder. Esta tua amiga aqui saiu-se c a mm teoria q tu, se formos smp a descer vamos smp dar ao rio, q melhor marco de orientação q esse?! =)

Faleiro disse...

Tendo em conta que eu não especifiquei a data da primeira vez em que partilhei este pensamento, estás mesmo a ser arrogante. Escreveste-a?!
Desculpa mas já lá vão uns aninhos...

Sossó disse...

isso é teoria de WC
beijo