Os "Santos"

Na verdade os "Santos" referem-se a um único Santo. Um Santo que nem sequer é o padroeiro de Lisboa como muitos pensam. Refiro-me, claro, ao Santo António!

Escrevo para que, deste dia, restem memórias escritas de alguém que de pouco ou nada se lembra.

Queria apenas expressar que, do que me lembro, esta noite de "Santos" foi a melhor que alguma vez tive. Disto tudo salta um filme, um filme com cheirinho a Brasil: "Santo e inexplicável esquecimento". Na verdade bebemos como se não houvesse amanhã, que é como quem diz, o dia seguinte...
Por assim ser e não me lembrar de um período relativamente longo de acontecimentos deixo uma pergunta: Como é que cheguei à Graça?

Da Graça à Estrela vai uma curta distância,
vê lá se não escorregas na casca da melancia (para ler de acordo com as sílabas apresentadas, e sem acento circunflexo para rimar).

Aos meus amigos com quem partilhei esta noite, sem excepção, OBRIGADO!

"Dá-lhe Falâncio!"

Comentários

André Pisco disse…
"Dá-lhe falancio" algo que nao vou esquecer sem dúvida. Uma excelente noite de Santos populares e disso tenho noção, apesar de também nao saber como fui para a Graça e nao me lembrar de grande parte das coisas.hehe Mas a vida é feita destes bons momentos com grandes pessoas por perto. mega abraço
Carla Delgado disse…
E QUEM TE ENSINOU QUE O PADROEIRO É SÃO VICENTE???
Fui eu! (ou não fui???)
Jinhos e está quase...o pior vem depois.
carla, a cunhada (que por vezes tb te axa irritante)
Faleiro disse…
cunhada... Não foste tu! Lamento =P

Mensagens populares deste blogue

Amigos de ocasião?! Não, obrigado!

Pés

Bolinhas de Berlim